Páginas

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Meu diário de doença mental - 2

Está tudo na minha cabeça. Está tudo na minha cabeça, mas é o meu corpo que sofre as consequências. Enjoos, tontura, diarreia, tremedeira. Leve situação de estresse e bam, ansiedade. Cada vez menos com fome, comendo cada vez menos. Meu TA pula de alegria. TA. Transtorno Alimentar. Tenho desde que me lembro. Poderia chutar que foi quando fiz 15 anos, porém a semente estava plantada há muito mais tempo. Desde quando eu era muito menor, magrinha, a única magrinha da casa, então, minhas tias, também magrinhas, sempre lembravam a mim que eu deveria permanecer daquela maneira. Não as culpo, está tudo na minha cabeça. Só que o meu TA, ah o meu TA, está amando esse peso que eu estou perdendo, porque você nunca está realmente curado do TA. Não estou compulsiva, bending hard, not breaking. Disse que não estou compulsiva, não estou parando de comer, porém, há alguns dias, passei 22h sem comer porque estava sem fome. No fundo, cada hora sem ingerir comida é um alívio. Achei que o TA tivesse ido embora, comecei a duvidar quando tinha aquela vontade de levantar a camiseta em frente ao espelho e dar uma checada. Comecei a duvidar quando os meus olhos voltaram a brilhar com os meus ossos ficando mais salientes. Comecei a duvidar quando fui durante três dias seguidos à farmácia e me pesei em todos os dias. 52,6kg no primeiro dia. 52,4kg no segundo. 52,05kg no terceiro...
I'm so fucked up. 
Preciso responder duas questões. Primeiro, qual é a raiz do meu problema? Segundo, por que isso sempre acaba em autodestruição?

Nenhum comentário:

Postar um comentário