Páginas

sábado, 11 de dezembro de 2010

Desire

Foto por: Ana C. Nemes*
         Fecha os olhos e faz um pedido. Seria perfeito um desejo agora. O que você quer? Bem, eu desejo... Eu desejo...
         Eu desejo...
         Eu desejo ser Lizzy Bennett e ter o Mr. Darcy, desejo ser Anne Elliot, sou Elinor e Marianne ao mesmo tempo. Eu desejo ser a própria Jane Austen. Eu quero que você me chame de Bones, Booth. Pode me chamar de sua Marie, Pierre. Eu desejo ficar completamente bêbada sem ingerir nenhuma gota de álcool. Desejo ficar cheia de verrugas por contar estrelas. Desejo afogar-me numa piscina de chocolate ao leite derretido sem morrer, ou talvez morrer de tomar chocolate. Eu desejo sonhar um sonho em que eu sonho que meus sonhos são reais, e eu desejo acordar e ver que o sonho que eu sonhei é real, ou é fantasia, ou é... Sei lá!
         Eu desejo um amor com condições incondicionais, um amor condicionalmente incondicional, um amor incondicionalmente sem condições. Eu desejo um não amor. Eu não amor um desejo. Eu não um desejo amor. Eu não desejo um amor.
         Eu desejo as asas de Ícaro e desejo que o sol me bronzeie e derreta a cera de minhas asas para que eu possa cair lá do alto direto num mar de doces ilusões verdadeiras. Eu desejo usar contradição e não ser contraditória, porque isso é antítese, baby, antítese!
         Eu desejo ser a vida que procuram em Marte, o éter que Michelson e Morley disseram não existir. Eu desejo viajar a velocidade da luz ou ser um buraco negro, quiçá um de minhoca? Quero ser um planeta com um núcleo fundido. Sou uma estrela, pode me chamar de Betelgeuse. Eu simplesmente desejo fazer todo sentido fazendo sentido nenhum. Não me olhe assim, vai, eu sei que no fundo você me entende. É com você que eu estou falando, não é você quem está lendo isto?
         Eu sou Capitu, Bentinho. E só pra te deixar informado, nunca houve traição e eu sempre te amei. Na verdade, houve traição. Na verdade, nunca houve traição. Fato é que eu sempre te amei. Fato é que eu pensei que quando era um grande amor, você podia trair e brochar, o amor voltaria triunfal.
         Fato é que eu sou Marina, porém eu posso ser qualquer outra dependendo da necessidade da ocasião. Mas, por favor, que não seja necessário ser um anjo, tenho asas e isso não faz de mim anjo, não faça de mim uma herege. Sou mulher, sou menina, sou menina e brinco com bonecas. Estas que andam, falam, pensam, dependendo do quão fértil é a sua mente.
         Fato é que isso tudo são apenas devanejos, afinal, é o meu lugar. Devaneios de desejos. Desejos de devaneios. Eu desejo ser o gato de Schröndinger. Eu sou o gato de Schröndinger. O gato de Schröndinger está morto. O gato de Schröndinger está vivo.
        

“[...] No solo não, no éter pairamos, nele amaríamos ficar.”
              Carlos Drummond de Andrade, em “A dança e a alma”.


* Ana C. Nemes é a dona do blog .Nana e o mar.

10 comentários:

PaulinhoIron disse...

Muito lindo e profundo Marina! Mais uma vez colocando contradições em suas linhas. Isso se encaixa perfeitamente no contexto, tornando muito interessante!
Legal citar Capitu e Bentinho. Achei que eu era a unica pessoa de 17 anos que gosta de Dom Casmurro!
E sim, claro, podemos ser quem quisermos ser. O dom da flexibilidade (e não da falsidade rs) está em todos nós. Podemos ser nossos maiores ídolos numa simples mudança de atitudes, ou podemos simplesmente firmar nossa sepultura espiritual perdendo nossas características. Fato é que, desejos são sonhos próximos, tangíveis, e que, por vezes, são totalmente contrários ao que a realidade realmente mostra!
Parabéns, parabéns e parabéns :D

Beijos!

Marina T. disse...

Ah, obrigada, Paulinho! De qualquer forma sempre acaba entrando contradição nesses meus textos, não consigo mais evitar, é exatamente o que eu quero dizer! rs
Então temos isso em comum, porque eu gosto mesmo de Dom Casmurro, aliás, eu amo as obras de Machado! :D
Muito obrigada, mais uma vez você mostrando que sabe das coisas, tenho muito a aprender com você!
Beeijo ;*

Ritchy disse...

Achei que eu era a unica pessoa de 17 anos que gosta de Dom Casmurro! (2
muiito, muito boom esse post *O*
realmente adorei!
parabéns peelo blog ;]
beeijos ;*

Tkaniam disse...

Loucuuuuuuuura! Eu vejo tantos paradoxos por aí que não pude contar quantos existiram, exatamente. Muito legal, muita intertextualização, muita cultura. E, principalmente, muita introspecção. Como já bem notei que é típico de você, Marina, expressar-se com uma capacidade incrível, está aí mais uma postagem cativante!

Carolina B.! disse...

Seus desejos compõem textos que soam como valsa!

Todos em um, ou nada com nada, é o que podemos ser, enfim , a vida é sonho, sonhar é bacana, morrer afogado em chocolate também. hÊ.

Marina T. disse...

Obrigada, Ritchy .. então somos 3 até agora .. rs!
Ah, Muito obrigada mesmo, Tadashi! Essa oposição de termos já sai naturalmente agora .. rsrs!
Carool! :D
Nossa, menina, achei que você tivesse desaparecido .. rsrs! Faz um tempão que não aparece por aqui e nunca mais postou nada, saudades de ler os seus textos! :)
Muito obrigada, morrer afogado em chocolate deve ser uma delícia .. huahua! :p
Beeijo ;*

Rooh. disse...

Que perfeição!
Esse texto seu é digno de ser publicado em um livro! xD
Tem um site que publica livros gratuitamente(é sério,minha amiga publicou e é coisa séria,suuuper legal),dá uma olhadinha lá depois:
www.clubedeautores.com.br
Voce que escreve tãaao bem assim,talvez se interesse... Hehe

Ahh, voce falou em Dom Casmurro aí no seu texto?! Eu sou simplesmente apaixonada por essa obra(uma das únicas que eu gosto de Machado de Assis,não que ele não seja bom,mas acho o vocabulário da maioria dessas histórias mais antigas meio dificilzinho e chatinho de ler,rs)
Enfim,acredito que esse foi um dos textos mais lindos seu que li até hoje...

PARABENS,PARABENS...
Voce ainda vai longe!

um abraço :D

Marina T. disse...

Ah, muito obrigadA, Rooh... Valeu pela dica, embora eu não escreva tão bem a ponto de escrever um livro, mas com certeza vou dar uma olhada no site! rsrs :D
Dom Casmurro é uma obra realmente legal e que deixa aquela dúvida no ar, o que faz com que você possa ter a sua própria interpretação das personagens, mas você tem razão, a linguagem às vezes pode ser meio difícil mesmo! xD
Muito obrigada novamente!
Beeijo.

Jonatas disse...

mais uma vez, estou apaixonado. Não uma paixão qualquer, virou amor, virou constante. Cada leitura é um novo amor. A melhor parte é saber que não é necessário esquecer ou largar nenhum amor antigo, posso amar quantos forem possíveis. E com você, tenho infinitos amores, eternos amores.
Parabéns.

Marina T. disse...

O bom é que você se apaixona diariamente por mim, Jonatas, e o melhor disso tudo é que eu sempre soube .. KKKKK!
Muito obrigada por isso, sinto-me lisonjeada! :D
Beeijo ;*

Postar um comentário