Páginas

domingo, 27 de março de 2011

Memórias

            E cada palavra que antes havia sido guardada estava sendo jogada fora agora. Razões não eram encontradas para manter aquelas lembranças, afinal todas aquelas palavras não passavam disso, meras lembranças. Apenas fatos, momentos, situações, ideias, recordações que insistem em se conservar na memória. Insistem em ficar vivas por mais que se queira matá-las. Saudade. Nostalgia.
         Sentir saudade é bom quando o tempo e o espaço que nos separam do objeto deste nosso sentimento é finito. Então a saudade acaba sendo o tempero do re-encontro. E a saudade vai embora. Não a nostalgia. A nostalgia fica, insiste, permanece. A nostalgia é impiedosa, mostra que indubitavelmente o tempo não volta, só segue em frente e ainda faz com que cada segundo se arraste como se pudesse durar eternamente. Ironicamente isso só acontece quando se quer que o tempo passe o mais rápido possível.
          Sim, a nostalgia é impiedosa, ou o tempo, ou apenas é preciso culpar algo que não tenha misericórdia. Fato é que um momento insiste em não morrer em sua memória, mesmo que tenha durado apenas um instante. Por ironia, um instante não tem duração alguma, talvez você não esqueça exatamente por isso, por não ter durado nada. Não durar nada faz com que dure eternamente, imortal em sua memória.
         Mas isso tudo só parece extremamente simples e claro quando a escuridão cegante da noite aparece, quando só as estrelas são vistas, quando a perfeição celeste é mostrada, porque quando se olha para o céu, lembranças não são meras lembranças, as memórias abstratas parecem tão concretas a ponto de serem tangíveis. Mas aí o Sol decide não se por e tudo fica sendo apenas lembrança, sonho, fantasia, irreal, abstrato e o tempo não passa. Maldita memória...

2 comentários:

PaulinhoIron disse...

Sou muito fã de uma musica da banda Gloria que diz assim: "E o que não me faz bem, nem sempre é possível esquecer. E o que não me faz bem, o tempo faz questão de me dizer".
Sei lá, acho que tem muito a ver. E essas palavras, momentos, memórias, por vezes não nos fazem bem algum, mas insistimos em guardá-los para, quem sabe, em alguma noite escura, revive-los em nossas imaginações. Mas devemos ficar atentos, pois quando o tempo nos mostra que a lembrança é mais dor e menos felicidade, tem algo errado.
Achei linda essa passagem:
"Sentir saudade é bom quando o tempo e o espaço que nos separam do objeto deste nosso sentimento é finito. Então a saudade acaba sendo o tempero do re-encontro. "
Lindo Marina, gostei bastante!

Beijos e uma excelente semana!

May disse...

Nossa, amigaa .. tava com saudade de ler os seus texto. Fantástico! é tudo o que consigo dizer no momento . You're amazing .. just the way you are.
'Sentir saudade é bom quando o tempo e o espaço que nos separam do objeto deste nosso sentimento é finito'.
Continue assim, MarinaT.
Beijos da sua fã.

Postar um comentário