Páginas

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Cores de Frida

Frida Kahlo


            Estava decidido, causaria impacto. Nascera para ser diferente, ser a cor vibrante entre os que eram preto e branco. Coloriria o incolor com as mais belas cores, cores de Frida Kahlo.
            Era como todas as outras mulheres, só que mais intensa. Corria sangue quente e caliente por suas veias, sua pele jorrava uma liberdade que não podia manter dentro de si. O martelo e a foice eram sua bandeira. Lutaria até o fim por tudo o que quisesse.
            Enquanto seus olhos escreviam, suas mãos pintavam obras de arte. E amava. Amava com um amor ígneo e ardente. E sofria. Sofria um sofrimento triste e insistente. E amava e sofria e lutava e tudo se transformava em cor. Ah, quão sortudos foram Rivera e Trótski!
            E causou impacto. Foi uma linda aquarela entre os que não tinham cor. E seu nome foi Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderón.


“Vou escrever para você com meus olhos...” – Frida Kahlo

2 comentários:

PaulinhoIron disse...

Seria perfeito se todas as pessoas fossem vivas como tal! Tivessem esse calor, essa vontade! Que lutassem e sofressem e amassem e com isso conseguissem transformar o profundo cinza numa bela aquarela e...bom, realmente tivessem uma vida para ser sentida, não para, simplesmente, ser passada...
E mais uma vez, parabéns :)

Bjos!

Juçara Gaspar disse...

Muito massa o texto Marina!
Agora estamos interligadas pela Friducha.
Abraços.

Postar um comentário