Páginas

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Sobre a fraqueza que se esconde

         “Você é fraca”, ele disse. “É que você finge que é forte, mas no fundo você é fraca”, continuou. Ele tem razão. Não passa de uma fraca escondida sob uma máscara de força, uma fingida. Quando está no meio deles é como se estivesse sempre um passo atrás, eles são melhores e mais fortes. O silêncio é a principal arma de sua defesa. É que ela não passa de uma menina, pobre borboleta lutando para sair do casulo, sua máscara de força. Talvez esteja apenas no lugar errado, precisa se encontrar. Mas ela tem os seus métodos, a fraqueza não é uma escolha, apenas existe. Decidiu fazer da fraqueza a sua força, o alicerce para o que quer construir. Ela não deixará de nadar, mesmo que seja para morrer na praia, se morrer, não terá sido por falta de vontade de viver ou por falta de nado. Hora de nadar. Pode haver fraqueza, mas o ponto fraco ninguém encontrará, apesar das falhas o sistema de segurança ainda funciona. Ela se mantém sob a máscara.


There’s another world inside of me that you may never see, there’re secrets in this life that I can hide

3 comentários:

Andre Mansim disse...

Hahahahahahaha Marina as pessoas falam que eu sou meio maluco pelas coisas que eu escrevo, sabe eu acho que até pode ser, mas vc também não fica atrás, e pesar numa coisa dessas hahahahaha, e pior é que ficou muito bom!!! Parabens!!!!

PaulinhoIron disse...

Talvez a fraqueza não seja sinal de ser fraco, mas sim de ser calculista. Não é uma questão de não agir por medo, é uma questão de agir conforme os fatos forem se concretizando.
"Ela não deixará de nadar, mesmo que seja para morrer na praia, se morrer, não terá sido por falta de vontade de viver ou por falta de nado."
Linda passagem!
Muito bom mesmo!

Beijos!

C. disse...

A gente parece uma costureira, na verdade, todo dia retalhando nossas fraquezas de um jeito colorido, outras vezes nem tanto... mas preenchendo vazios...

Postar um comentário