Páginas

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Invólucro

                Mesmo morto e crucificado, não é possível esquecer a tristeza, que se apoderara de sua alma desde que tivera que soltar suas mãos, porque aprendera a caminhar com os próprios pés, sem mais apoios. Desabrochastes, rosa minha, sem que eu ao menos percebesse que já chegara a primavera.
                Mudara de sexo, mudara de forma, mudara de corpo, estava a habitar em outra pele. Por fora era a perfeição de Vera que se mostrava, por dentro o desespero de Vicente tentando escapar.
                Por que te escondes sob este invólucro que impede que seus olhos sejam vistos? É tudo culpa dos olhos. A beleza dos olhos esconde as verdadeiras intenções da alma. Onde está o real você a quem eu conheço como as palmas de minhas mãos? Desolado estou desde que suas pernas ganharam firmeza suficiente para me deixar. Transformou-se em algo que eu desconheço. Desconheço a ti, mas ainda és tu.
                Mudam-se olhos, cabelos. Habita-se outro corpo, outra pele. Troca-se o sexo, o invólucro. Modifica-se toda a embalagem, mas o conteúdo deve ser o mesmo. Aceito-te, pois lá no íntimo ainda és tu. Aceito-te por que ainda não é possível realizar cirurgia plástica na alma.

3 comentários:

Paulinho disse...

Outro texto que se encaixa naquilo que tenho vivido rs
Sou meio suspeito para falar sobre mudanças, sobre olhares belos que escondem os verdadeiros "eu's" que existem por aí, mas não chamo isso de falsidade...na verdade, não sei do que chamo isso, mas acho justo que todos nós tenhamos duas aparências (e não suas medidas), afinal, o mundo não nos pede, mas nos exige de maneira ditatorial, que estejamos sempre preparados para tudo.
Sou a favor dessas mudanças, mas elas devem seguir um ritmo agradável a pessoa que está sujeita a ela, deve saber fazer tudo da maneira mais correta possível.
Venho do fim de um relacionamento que, apesar de ter sido curto, marcou a ferro a minha vida. Acredito que meu olhar não diz o que a alma pensa, mas é válido...e disso tudo, o importante não é aprender, mas é saber que isso não é o fim do mundo e que devo seguir em frente.

Marina, seu blog é, sem dúvida alguma, o blog que eu mais admiro, tenho carinho e respeito. Não só o blog ou a escritora Marina, mas a pessoa Marina também. Tuas palavras são incríveis. Quando entro aqui, gosto de ler seus textos com calma, leio uma, duas, quantas vezes for necessário. Aí eu comento, leio de novo...amanhã leio de novo. Sempre passo por aqui. E são suas palavras que vão fazer com que os meus rascunhos voltem a ser compartilhados! Suas palavras motivam.
Ainda essa semana, o Eternos Rascunhos estará de volta, e eu te agradeço por isso!
E espero que você jamais cogite me assustar com essa de "blog não encontrado". Piadinha de mal gosto viu?! Hunf! rs

Beijos!

Maria Luísa disse...

seu blog eh tão bom que vou recomendar no meu, mto bom mesmo!!!

Ah! Curiosa disse...

Oi! Gostei muito do Blog, muito legal! Seguindo já!
Participa e comenta o meu tbm ;)


http://ahcuriosaa.blogspot.com/

Postar um comentário