Páginas

quarta-feira, 14 de março de 2012

Aos seus olhos de anã marrom


                Menina. Mulher, mas menina. Quisera abraçar o mundo com as próprias pernas cedo demais, porém o mundo é menino e não sabe brincar com você, minha querida. O mundo apenas te engole sem mastigar. Digo-te, minha menina, não é por ser mau, é apenas por ainda não saber o que quer. Ele apenas retribuiu teu abraço e houve confusão entre braços.
                Entendo-te e sofro de longe (mas contigo) a dor que é apenas sua, prometo-te que tudo isso, toda dor, irá embora se você pedir que vá. És forte, querida, é sabido teu. Mata-me ver lágrimas a saltarem de seus olhos, doce menina, esses olhos de estrela, olhos de anã marrom, olhos que festejam mil sóis ao amanhecer. E se eu te disser que esta é a resposta? Abrir os olhos. Será um novo dia, um novo tempo a ser aproveitado. Sim, pois, mesmo menino, o mundo tem muito tempo, mas nós não temos todo tempo do mundo.
                Vamos, eu sei do cansaço, porém também sei o quão doce e afetuosa és. Esqueças o mundo, tens o universo inteiro, quiçá muitas outras dimensões, para abraçar. E conquistar. E fixar território. Tu serás feliz. Aos quinze anos tudo é infinito e podes não saber, só que nós, meninas-mulheres, temos 15 anos eternamente, portanto, ao infinito e além, minha querida. És mulher. Menina, mas mulher.

Um comentário:

Paulinho disse...

O grande encanto em uma menina, é justamente ela ser mulher. É ser menina nos sonhos, na insanidade, na alegria despreocupada, mas é mulher ao saber que o céu nunca é limite, mas sim objetivo. E objetivo cumprido hein?!
Ao contrário de nós, homens, que somos garotos até a morte, a mulher já nasce mulher, e aprimora sua meninice com os anos. A mulher já nasce com essa aura, com esse instinto de conquistas, com essa vontade de abraçar o mundo com braços pequenos a olho humano, mas imensos aos olhos de uma menina.

Gostei de verdade dos novos textos, Marina, desse ultimo em especial. Foi muito bom poder ler seus escritos novamente, e vê se não fica muito tempo sem atualizar aqui! Mas sei que o tempo é relativo, e falta tempo no nosso tempo.
Ah, muito obrigado pelos comentários no Eternos Rascunhos, e principalmente, no ultimo texto, que foi uma carta...ou foi um texto mesmo...chame como quiser rs

Beijos!

Postar um comentário