Páginas

sábado, 31 de março de 2012

São dois aninhos, bebê!


                Bem, 31 de março. Há dois anos eu resolvi criar um blog. Ainda não tenho certeza se essa foi uma boa idéia. De qualquer forma, o meu bebê está fazendo dois anos, sim, estranho, mas é algo meu, criação minha, portanto, a gente adquire um carinho enorme por algo que nem ao menos pode ser personificado, embora o sentimento é de que seja como um filho seu. Não, digamos que o sentimento é de que seja como um fruto seu.
                Eu não sou uma boa escritora, tudo o que eu faço é deixar a mente me guiar. O layout do blog é uma coisa meio, não sei. Só sei que eu sou péssima nisso também, além de ter preguiça. Sim, sou extremamente preguiçosa. Por isso, caros e queridos leitores, peço perdão por todas as vezes em que vocês abriram esta página e se depararam com algum tipo de poluição visual. Pois bem, peço-vos perdão, mas o que importa mesmo aqui são os textos, portanto, peço-vos perdão por não poder escrever as maravilhas de entretenimento que as suas mentes merecem. Agradeço a cada um que perde o mínimo que seja do seu tempo lendo alguma coisa que eu escrevo, isso é muito importante, de verdade. Agradeço mais ainda a quem além de perder seu tempo lendo, ainda escreve um comentário. Acredite, o reconhecimento é um estímulo maravilhoso.
                Devo confessar que o meu blog não é realmente como eu gostaria que fosse. Por quê? Falta de tempo, falta de coragem, preguiça, descaso, falta de criatividade. Ou seja, culpa única e exclusivamente minha. Peço desculpas mais uma vez, pois eu acho que vocês merecem o melhor e eu creio que o meu melhor é bem melhor do que isso. O meu carinho por quem REALMENTE lê o blog é real, então, não acho justo fazer as coisas de qualquer jeito. Em um texto, mesmo que haja distanciamento, há uma parte do escritor nele. Cada palavra que se escreve por livre e espontânea vontade vem de dentro de você, não há como não sentir afeto por algo que mostra quem você é. Sendo assim, o estímulo mandando por quem “conhece” você por meio de suas palavras, a recepção dada a elas, é importante para quem está escrevendo, é a mesma coisa que alguém gostar ou não de você. Claro que você finge não se importar, só que em alguns casos o caso ou o descaso é relevante. E falando em estímulo, eu jamais poderia deixar de agradecer a alguém que sempre me estimula por aqui. Ainda mais quando esse alguém é uma pessoa que você admira, não apenas por escrever divinamente bem, mas simplesmente por ser quem é. Logo, eu agradeço demais ao Paulinho do EternosRascunhos, que sempre dá uma força aqui! Obrigada por todo esse tempo me “aturando”, Paulinho!
                Se você parar para pensar (e colocar isso numa escala temporal, ou numérica, ou qualquer coisa), verá que dois anos não são quase nada. No entanto eu posso ver a evolução de um ser humano. Eu posso ver o quanto a forma de escrever, a forma de falar, a forma de pensar de alguém mudou. Isso tudo por que a gente cresce. E neste blog aqui, impregnado de palavras e do que é humano, eu posso ver quem é Marina agora, exatamente agora. Por eu poder ver esse crescimento, e só por isso, é que eu não excluí as postagens que hoje considero ridículas. Sim, ridículas, mas fizeram e fazem parte do que eu sou e não podemos fugir de quem somos. E eu, vivo em metamorfose e nunca viro borboleta. E de que isso importa quando se pode voar por aí, sair e voltar ao casulo de acordo com sua vontade? Nada disso importa quando se pode ser e fazer o que quiser. Somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter.
                Enfim, vamos acabar este texto que já está grande demais para o meu gosto. Muito obrigada aos que leram até aqui, estou feliz em manter este espaço por dois anos, espero que ele possa durar mais. Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure. Ao infinito e além sempre, caros queridos.

3 comentários:

Rooh. disse...

AHHH *--*
Parabéns blog da Marina!
Rs

Meu blog deve ter quase a mesma idade do seu, me lembro que assim que comecei , encontrei seu blog e comecei a ler seus textos. Dois anos são muita coisa, mas parece que foi ontem, rs.

Voce é demais Marina, adorei as palavras.

Paulinho disse...

Happy B-Day, Devaneios! \o/
São dois anos de palavras magníficas, Marina! E o que é interessantíssimo num blog, principalmente quando se completa dois anos, é ver a evolução nas palavras, nos sentimentos, na pessoa que escreve. E deixando mais interessante ainda é o fato de que, pela idade que temos, as mudanças são realmente grandes. Acredito que hoje podemos bater no peito e dizer quem realmente somos. Óbvio que ao longo de nossas vidas, mudamos, sofremos alterações, mas a base para a nossa personalidade já está moldada.
E eu discordo totalmente quando você diz que não é uma boa escritora! Ora, sua mente te guia à escrita, quer coisa mais inspiradora do que não depender de algo ou alguém para escrever? Sua unica dependência é você, e colocar em rede tudo aquilo que lhe passa a mente, com palavras tão brilhantes quanto as suas, é um dom magnífico. Anda, corrige o texto ali em cima e coloque: "Sou uma boa escritora (...)".
Ah, muito, mas muito obrigado mesmo por ter me citado no texto, é uma honra pra mim! Saiba que essa admiração e carinho são recíprocos, Marina. E pode apostar, enquanto esse blog existir, então eu estarei aqui com meus comentários enormes, iguais esse aqui rs

Bom, mais uma vez, parabéns ao Devaneios e a você também, Marina! E muito obrigado por nos presentear com tantas belas palavras! Que sejam os dois primeiros anos de muitos que ainda virão!
Beijos!

Anônimo disse...

E pensar que você teve a audácia de excluir por alguns dias... :P, olha aí, chegou a marca de 10000 mil visualizações

Postar um comentário